Cientistas encontram registro mais antigo da humanidade nas Américas!

De acordo com algumas informações muito atuais, uma equipe de arqueólogos acabou encontrando evidências históricas de aproximadamente 23.000 anos atrás. Esses profissionais, em uma pesquisa, encontraram etapas que, segundo sua determinação, têm aproximadamente essa idade. Também acabaram se tornando os registros mais antigos da humanidade nas Américas.

A revista Science publicou algumas informações importantes sobre o que aconteceu. Tudo aconteceu em 24 de setembro de 2021. Registros históricos foram encontrados no Parque Nacional White Sands, que fica no estado do Novo México, nos Estados Unidos. A descoberta chamou muita atenção da comunidade científica, porém, ainda há muito o que se dizer sobre ela.

Após um determinado estudo, os pesquisadores passaram a acreditar que as pegadas têm aproximadamente 21.000 anos (e podem até chegar a 23.000!). Esta informação por si só torna estes os registros históricos mais antigos nas Américas. Os degraus foram encontrados dentro de um lago do parque.

Segundo Matthew Bennett, geocientista da Universidade de Bournemouth, as pegadas acabam tendo um valor histórico extremamente importante. São a prova de que há muito tempo alguém já passou por aquele mesmo lugar. Para ele, pegadas nada mais são do que pistas.

De acordo com informações divulgadas pelos próprios cientistas, foram encontradas cerca de 60 etapas. Eles também costumam chamá-los de “passos fantasmas”, pois podem aparecer e desaparecer com o tempo na paisagem do parque. Isso também pode destacar por que demorou tanto para descobrir as pegadas.

Algo muito importante de se mencionar também é que os registros foram próximos a outros vestígios deixados por preguiças e mamutes e sua datação se deve principalmente ao método do radiocarbono, muito eficaz para fazer datações de longo prazo, apesar de oferecer um longo período de incerteza (como em neste caso, que é de 21 mil a 23 mil anos). Porém, certamente é a partir do carbono 14 que se torna possível analisar bem isso.

A título de curiosidade, neste método utilizado, os profissionais relacionam a quantidade de carbono 14 no corpo de animais, plantas e até mesmo pessoas para obter um resultado na datação. A análise é baseada em um princípio muito básico, com o tempo o carbono 14 daquele fóssil acabará! Com essas informações é possível saber os dados aproximados de quando esses seres morreram.

Esta é uma mudança muito grande e histórica. Se tudo se confirmar, os primeiros registros da humanidade nas Américas passarão de 13 mil anos para até 23 mil. Esses 13 mil representavam a crença da comunidade, pois era também onde estava datada a presença de vestígios e pedras também avaliadas.

No entanto, essa possibilidade está aqui apenas para acabar com isso. Vários outros vestígios da presença animal e humana foram encontrados aqui nas Américas, alguns até 30 mil anos e restos humanos 16 mil. Porém, ainda é uma grande diferença de 16 para 23 mil, não é?

Veja as imagens!

pegadas velhas
pegadas humanas
pegadas velhas
pegadas humanas
pegadas velhas
pegadas humanas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *