Criança que tinha 0% de chance de sobreviver, hoje faz 1 ano de vida

A criança nasceu com 113 dias de antecedência e com certeza gerou muitas preocupações. As chances de sobrevivência, bem, eram de 0%, no entanto, algo aconteceu que mudou completamente o rumo dessa história e agora vamos ver de forma mais detalhada como tudo se prosseguiu.

Beth Hutchinson estava grávida de apenas 5 meses quando, graças a complicações médicas, acabou tendo um parto prematuro. Richard nasceu com apenas 5 meses!

Além dessa informação importante, Beth não sabia na época, mas ela acabara de dar à luz ao bebê mais prematuro do mundo. Talvez tenha sido algo histórico e até mesmo positivo para essa mãe, no entanto, não foi bem assim que aconteceu.

Criança mais prematura do mundo

Com 5 anos para desenvolvimento a criança com certeza acabaria tendo muitas complicações, o suficiente para que ela nem mesmo conseguisse se desenvolver. E foi logo depois do nascimento da criança que a equipe médica do hospital comunicou aos pais que o seu filho tinha 0% de chance de sobreviver. Isso mesmo, não havia nenhuma chance de sobrevivência para o pequeno Richard.

Apesar de tudo isso, seus pais continuaram acreditando que ele iria conseguir passar por isso, mas a equipe médica sabia da real possibilidade, afinal, ele era tão frágil e pequeno que cabia na palma de uma mão. Seria necessária uma luta enorme para que ele conseguisse sair dali.

A neonatologista Stacy Kern afirmou que as primeiras semanas da criança seriam extremamente complicadas, porém, caso eles conseguissem ajudar ela durante esse processo, o próprio Richard conseguiria lutar pela sua própria vida.

Criança mais prematura do mundo

Pois é, com o tempo ele foi ganhando forma, e claro, tendo todo o acompanhamento médico que necessitava. Foram meses passando por isso e quanto mais o tempo passava menor era o risco de vida do pequeno. Os próprios médicos que não acreditavam na sobrevivência da criança acabaram conseguindo mudar o então destino dela.

Ao final do processo, foram 6 meses no hospital e com certeza foi uma experiência muito interessante. A cada momento que se passava a criança ficava mais forte e, agora, ela está preparada para batalhar fora do hospital.

Apesar de não ser possível estar com ele todo dia (principalmente pela pandemia) os pais de Richard estavam lá sempre que possível, monitorando e ajudando em tudo possível para que a criança conseguisse ficar bem.

Criança mais prematura do mundo

Segundo eles o objetivo dessas visitas era dar apoio para ele, não queriam de forma nenhuma deixá-lo sozinho durante aquele momento. Se esse apoio funcionou ou não, não é discutível, porém, essa é com certeza uma bela história para contar.

Por fim, a não muito tempo o pequeno completou 1 ano de vida. O que pode parecer um acontecimento comum vem cheio de carga para seus pais, que estavam ali desde de seu primeiro suspiro e observaram sua luta pela sobrevivência. E claro, suas dificuldades hoje não existem mais, realmente, a cada dia ele se torna uma criança mais forte!